Irradiando… o quê?

irradiando

Olá pessoas, como devem saber, o AxisDraco é meu espaço pessoal, nele falo sobre o que quero, quando quero. Logo, com vários outros projetos, ele acaba ficando em um canto guardado, esperando que esses momentos aconteçam. Claro, podem notar também que aos poucos ele vai tomando um direcionamento, direcionamento esse que vai de acordo com o direcionamento da minha vida.

Então, hora de um texto não? Mas que tal um texto mais, diverso? Interessante, assumo.

E que tal um texto diversificando do que escrevo normal (e raramente) aqui? Um texto sobre… diversidade? Oras, bora! Continue Reading…

O “Mito” é uma mentira

mito_mentira

“Ain, X mitou falando mal de Y, olha esse vídeo…”

A articulação geral propagada hoje em dia se resume a dizer que X “mitou” ou que Y “destroçou” e as vezes ate que N “humilhou”… geralmente são elogios feitos a vídeos produzidos de forma unilateral, onde uma pessoa aparece apenas canalizando o ódio irracional de cada vez mais pessoas vítimas da propaganda direcionada.

Os argumentos? Sempre falham, misturam bastante de propaganda carismática com locução que (sim, falarei) Hitler deixou tão característica, a paixão exacerbada tem convencido mais que a razão e isso é perigoso.

Mitar deveria significar que uma pessoa se tornou mítica por algo que fez, mas infelizmente os tais “mitos” não passam de figurinhas querendo atenção desesperada, agindo tal qual uma criança chorando para seus pais em um rompante de egocentrismo.

Só que com a criança existe uma justificativa, ela ainda está aprendendo a se comunicar e a socializar, está testando os limites de si e de seus pais. Em pessoa com mais de 18 anos? É apenas uma demonstração de falta de maturidade e caracteriza bem a falta de educação dessa pessoa.

Não falo aqui da educação enquanto “bons modos” mas sim nesse quesito educacional, educação enquanto aprender lógica e retórica, aprender a se expressar de maneira concisa e concatenada, não apenas usando frases emocionais e em tom demagógico.

Fico triste de ver cada vez mais pessoas que não conseguem manter uma linha de raciocínio em uma discussão falando em debate, quando na realidade só procuram um momento de fama para expelir seu ódio mal formulado, mal direcionado, mal constituído e sem estrutura.

Só que uma massa de ignorantes e intoxicados pela propaganda do ódio vão aplaudir essas pessoas, vão simplesmente ignorar tudo que tenham aprendido na vida quanto a lógica, causa e efeito e distorcerão tão absurdamente a realidade, para adequá-las a suas teorias, que dizer tudo isso será coroado como “mitar”, uma palavra que caracteriza bem o quanto tudo isso é fruto de propaganda.

Os “ícones” foram criados durante anos pela mídia, assim como no passado do Brasil se criou o “monstro comunista” para “justificar a ditadura”, hoje em dia se criam monstros por empresas que se formaram no seio da ditadura, que mamaram no estado por décadas e que nos últimos anos perderam boa parte de seu rebanho para o pensamento livre, para a critica.

O que fazem? Apelam para tudo que aprenderam e cultivaram lentamente, fomentam o duplipensar em suas vítimas que não percebem que invertem causa e efeito, que não toma ciência de que o que é dito simplesmente não se sustenta e não entendem que estão apenas regurgitando a merda que lhes foi enfiada gola a baixo por publicações corruptas e que desejam apenas manter o status quo.

Logo, se você acredita que alguém “mitou” ou “humilhou” outra pessoa por falar meia dúzia de besteira em um vídeo quase esquizofrênico, me desculpe, mas você precisa ler mais e de mais fontes, precisa reavaliar o quanto você sabe se expressar e quanto está sendo afetado emocionalmente por esse tipo de propaganda, sem que sua lógica entre na equação unicamente para saciar um ódio que em primeiro lugar nunca foi seu.

No entanto será mais fácil refutar um texto desses chamando de “textão”, o que evidencia sua incapacidade de ler mais de dez linha sobre alo, ou mesmo berrando “chola mais” coroando sua falta de retórica e argumentos. Portanto chegar a esse ponto do texto sem querer xingar minha mãe, ou me acusar de ser isso ou aquilo,  mas sim refletindo a respeito do que eu disse e entendendo que eu não falo de direita ou esquerda, não falo de PT ou PSDB, de PTralha ou Tucanalha, mas sim dos dois lados dessa moeda que cada vez sai mais cara para o Brasileiro, te dá ao menos as ferramentas cognitivas mínimas para se comunicar… e por favor, que isso seja o suficiente para que você se expresse com algo mais que apenas “mitou”.

Até porque, o mito é uma mentira.

O Hobbit, O Senhor dos Anéis e o encerramento das coisas

Finalmente assisti ao terceiro filme do Hobbit encerrando a trilogia que, ao meu ver, ficou ruim. Sim, ruim, foi exatamente como descrevem o usuário do “Um Anel”, algo que vai se esticando além do natural, que vai se perdendo e se tornando tão fino e estranho… Mas sim, é sempre um prazer ver esses combates de exércitos com suas armaduras contra criaturas fantásticas que durante tanto tempo somente na criatividade, de um jogador de RPG e apaixonado por histórias, reinaram.

Sendo bem honesto, realmente os filmes de Senhor dos Anéis são bem melhores que os de O Hobbit, mas Bilbo é bem melhor que Frodo e disso não há dúvidas, em parte isso se dá a essa “esticação” que foi feita com um livro pequeno e bem simples em comparação com o que foi feito com um livro extenso, complexo e escrito de forma complicada. Fica estranho comparar os dois, especialmente pensar que ambos tomaram três longa metragens para serem executados. Continue Reading…

Nomes aleatórios

Nomes Aleatórios

Estava com saudades de escrever para o Axisdraco. Isso atualmente tem acontecido uma vez por ano, quando muito, tanto que esse post está sendo feito para que o ano de 2014 não fique completamente em branco. Não tenho interesse em focar na minha vida no blog mais, e o Facebook tem se mostrado um lugar bem ingrato para escrever então vou escrever um texto que começou a nascer na minha mente esses dias, quando eu precisei criar um nome para um personagem de um jogo e não queria um nome qualquer nem mesmo consegui encontrar rapidamente algum nome que eu quisesse.

Isso me levou a criar um nome. Sim, criar pois não sai procurando em listas de nomes (e elas são bem úteis no geral) mas parti do zero e resolvi compartilhar parte do processo de como as vezes crio nomes, seja para meus contos, meus romances, personagens de RPG ou para jogos online. Oras, muitas vezes precisamos criar nomes, não porque não temos uma porrada de nomes em mente, nem porque não sabemos o significado de pelo menos mais uma dezena, mas pelo simples fato de desejarmos algo “único” ou mesmo “exclusivo”.

Eu tenho uma coleção de processos, ou algoritmos, para várias coisas na vida que se eu descrevesse aqui, pareceria uma vítima de TOC (ou apenas confirmaria?). Para nomes eu inventei (ou adaptei de algum lugar que não vou lembrar) um processo simples, eu escolho uma palavra… ou duas palavras ou até mesmo umas três, não importa, o que vem a seguir é o grande segredo:
Continue Reading…

War Witch (Rebelle)

War-Witch-poster

 

War Witch (Rebelle) é um filme Canadense de 2012 escrito e dirigido por Kim Nguyen. Nele em algum lugar da África Sub-Saariana (mas tudo indica que é no Congo), Komona, uma garota de 14 anos, conta para sua filha ainda não nascida a historia de sua vida que começa quando ela é raptada pelo exército rebelde para se tornar um soldado aos 12 anos de idade.
Continue Reading…

O que foi 2012

oq2012

Hoje é 30 de Dezembro de 2012. Não é o último dia do ano, mas com 364 dias decorridos já é possível olhar para trás e inventariar o que se passou e somar os resultados.

Foi um ano complexo e de aprendizado em modo intensivo, mais um ano de força e de resistência do que um ano de conquistas. Não significa que não obtive conquistas, pelo contrário, foi o que mais obtive esse ano, no entanto não são aquelas dos quais nos cercamos e descansamos em felicidade pelo obtido. O preço é duro e muitas vezes honramos esse preço deixando de lado o quão custoso foi. Continue Reading…

O que é o Eixo do Dragão?

axisdraco

 

Eu me perguntei isso diversas vezes ao longo desses anos e a cada vez eu encontrei uma resposta diferente.

Axis Draco já foi blog pessoal para falar sobre qualquer coisa, já foi site com foco em conteúdo (ou seja, qualquer coisa que ganhasse atenção) e até mesmo um desvio de atenção e foco de outras atividades. Continue Reading…

Review do eReader Kindle 4

kindle

Não gosto de me demorar muito para escrever certos reviews. Está certo que no ar desse ímpeto posso perder bons argumentos para um review de maior completude mas ao menos escrevo as primeiras linhas quando tenho minhas primeiras impressões. Com o Kindle 4 que comprei há algum tempo não seria diferente.

Deixarei de lado a história que envolve a dor de cabeça sobre como esse Kindle chegou enfim em minhas mãos e vamos direto ao que interessa, o aparelho!

Pra começar, a caixa do Kindle é simpática por si só, pequena e compacta utilizando o mínimo de material possível e conseguindo alcançar o status de uma verdadeira “embalagem verde”. Papel e papelão podem não ser a solução mais verde existente, mas ainda assim é uma solução verde que atende sua necessidade: Proteger o Kindle, veja na foto abaixo. Continue Reading…

Odisseia Virtual: Consumo Eletrônico

odisseia-virtual

Neste artigo (longo, mais de 3 mil palavras) falo sobre minhas mais recentes experiências com consumo, seja ele feito de forma eletrônica ou mesmo física com o suporte dado pelas facilidades digitais.

Não gosto de publicar algo tão longo aqui no blog mas nesse caso se faz necessário, se iniciarem a leitura dele, tomem algum tempo pois muitas vezes essa pressa nos afasta de oportunidades boas ou nos leva a oportunidades de quebrar a cara. Com o advento da internet cada vez maior em transações pequenas de pessoas físicas, alguma experiência pode ser extraída desse artigo sem que você tenha de passar pelos mesmos problemas que eu passei.

Lembre-se, se você está pagando, é um consumidor e se é um consumidor, tem seus direitos. Não seja abusivo e lembre-se sempre que do outro lado da linha ou de um chat também está um ser humano. Ou nem sempre…

 

Primeira Parte: ApetreXo e ApetroXas

Comércio eletrônico não é mais novidade, é coisa do século passado (principalmente em contagem do tempo “digital) e com isso o natural é que determinadas compras comecem a acontecer apenas de forma virtual.

Tênis eu não compro pela internet, tenho um pé complicado e nem sempre a numeração condiz com meu conforto, o lance é ir ao vivo e experimentar. Já outras coisas fazem a compra via internet ser quase obrigatória, entre elas eu diria que um ebook reader que você já conhece, ou mesmo uma peça de computador que você já cansou de ler reviews e tem uma boa noção de como é, o que faz e como faz. Continue Reading…

Adeus, Adash

adeus-adash

Iço a vela da nau que percorre dimensões. O inevitável é o caminho e o inexorável se faz rota. Tomo um punhado de poder à direita e um outro tanto de controle à esquerda. Junto-os em oração.
Meus olhos estão fechados e o campo da visão dá lugar à audição. Ouço e localizo o que está à frente ou o que está perdido no passado. Tudo reverbera com o menor som do casco deslizando por nuvens de mil megatons. Uma entidade zangada faz vista grossa mesmo contrariada.
Invasor! Ela clama em seu pensamento, mas as homenagens foram prestadas e o sacrifício libado foi queimado em holocausto. Pouco pode perante aquele que ousa e segue o ímpeto inabalável.
Não sou mais o navegante ou mesmo o capitão. Como uma esfera no espaço-tempo me movimento por acontecimentos resgatando e realocando energia. Nada se perde.
Abro meus olhos e vejo que a embarcação segue seu caminho por nuvens escuras. Como podem nuvens escuras se tornarem montanhas no céu que apenas a leveza sustenta? Continue Reading…